quarta-feira, 16 de julho de 2014

Livro novo na praça

Na verdade, o livro já saiu, há uns dois meses; mas como mudei de casa, os livros ficaram todos encaixotados, e eu não tive como bater uma foto e postar aqui. Mas, agora, deu.
UBATÃ, o menino índio, conta uma história de coragem e amor entre pai e filho, além de mostrar como Ubatã entendia as linguagens e ensinamentos dos animais, das árvores, do Sol, da Lua, das estrelas e das águas do rio.
Foi publicado pela Editora Rideel e ilustrado pela Sandra Lavandeira.
Espero que você goste.
Olhe só a capa!
Beijos.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Blog de Cinema

Olá!
Faz um bom tempo que a gente não se fala, não é? Mas voltei. E hoje, com muito orgulho, para recomendar a você um blog sobre cinema: o www.naminhaopiniao.blogspot.com
O blog apresentará sempre comentários sobre filmes variados, de várias linhas e diversos diretores.
A crítica inicial é sobre o filme GRANDE HOTEL BUDAPESTE, do diretor Wes Anderson. Mas, breve, sairão outras tantas já prontas.
Disse, acima, que sentia orgulho de recomendar esse blog. O fato é que o crítico de cinema e autor do blog é meu neto VICTOR BRAZ, de apenas treze anos. 
Confira para ver! Vale a pena.
Um beijo e até breve.
 

terça-feira, 22 de abril de 2014

ORIGEM DAS PALAVRAS

Depois de longo e tenebroso inverno, quando as doenças em família parecem entrar em uma maré mais calma, ói eu aqui de novo!
E, em meio a essa efusão de patriotismo futebolístico, decidi retomar as palavras e suas origens; desta vez com o surgimento dos verbetes "torcer, torcida, torcedor (a) e correlatos".

Em 1896, quando Oscar Cox trouxe da Suíça o futebol para o Rio de Janeiro, pouco se via homens de calças curtas, a não ser na praia; mesmo assim com calções de banho que iam até ao joelho. Assim, logo o esporte chamou a atenção das moças, que iam ao estádio acompanhadas de suas famílias e munidas de binóculos. 
Sempre muito bem trajadas, elas, se não usavam lenços amarrados às pequenas bolsas ou sombrinhas, usavam os mesmos no pescoço. Ao observarem as pernas dos jogadores, acabavam por tirar os lenços e ficar torcendo-os nas mãos. Desse hábito, surgiu a palavra torcedora ou torcedor, bem como a pergunta: "Para que time você torce?" referindo-se aos lenços.

Entrou por uma palavra, saiu por outra. Volto breve.
Beijos.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Olá!
Sumi, eu sei. Mas nem sempre a vida segue o rumo que queremos. Estou, há dez meses, cuidando do meu marido, que ficou hospitalizado. Por esse motivo, muitas coisas que eu costumava fazer com frequência, como conversar com você, aqui no blog, precisei adiar. Mas acredito que, daqui em diante, poderemos estar juntos, trocando idéias e novidades mais vezes. Abri o jogo com você, pois, se frequenta meu blog, é amigo (a) e merecia saber.
 
Agora, quero contar da visita que fiz ao SESC Três Rios/RJ, na última sexta-feira, dia 25/10.
Participei do FALA AUTOR e me deliciei. Fui recebida pela coordenação do evento com toda delicadeza e simpatia possíveis. Os alunos foram super participativos e, quando fui embora, saí com gostinho de quero mais. Obrigada, Raquel e Paulo Ricardo pelo convite e pela recepção calorosa!
Seguem algumas fotos do evento.



 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Livros Novos Saindo do Forno


Olá!
Você é professor(a), orientador(a) pedagógico(a), coordenador(a) de literatura da sua escola? Então é com você mesmo que estou falando ;-)
Acabam de sair do forno meus dois livros mais novos; que apresento agora:
O BONEQUEIRO DE SUCATA - Editora Saraiva -
Uma aventura de suspense para jovens de 12 anos em diante.
" Zeca tem 13 anos. Trabalha em um aterro catando lixo reciclável. Como qualquer garoto, vai à escola, tem muitos amigos e sonhos. Um dia, Zeca e seus amigos descobrem que podem fazer arte com o lixo que recolhem. Mas nem tudo é alegria. Um bandido misterioso e seus parceiros assombram a vida da favela. É preciso inteligência e coragem para desvendar esse mistério."
O MONSTRO SEM CALÇA DA MOCHILA SEM ALÇA - Editora Melhoramentos -
"Uma experiência contada por Fátima, uma menina de 10 anos que, quando tinha oito descobriu que um monstro vivia dentro da sua mochila velha; perturbando o seu sono. O que fazer para se livrar dele?
Orientada por sua avó, Fátima passa por um Teste Patetológico (dificílimo). Depois de várias tentativas para passar no teste, ela finalmente consegue e recebe de presente o Manual de Truques Infalíveis para Espantar o Medo. Assim, devagar, Fátima conhece o monstro da mochila e acaba ficando amiga dele; aprendendo até a escrita dos monstros. Como será que isso aconteceu?"
NOTA: Se você não é nada do que eu citei acima, mas sim uma pessoa interessada em leitura - o que é maravilhosos e eu te dou os parabéns - seja também muito bem vindo(a) aos mundos dó Zeca e da Fátima, e DIVIRTA-SE!
Beijos.



segunda-feira, 1 de julho de 2013

ORIGEM DAS PALAVRAS

Oi, tudo bem?
Hoje, vou postar umas curiosidades. Há palavras com as quais convivemos que nem sempre sabemos de onde vieram, como foram formadas. Vão, pois, duas delas que surgiram de modos bem interessantes. Veja só:

ARARUTA - A araruta é uma planta de onde se retira uma batata que é usada para fazer polvilho, semelhante ao polvilho de mandioca. Certa vez, um inglês que passava férias em uma fazenda, no Brasil, conheceu o tubérculo, que ainda não tinha nome. Comeu e adorou. Olhando a raiz da planta, achou-a parecida com uma flexa que, em inglês se chama arrow route. De lá para cá, o nome pegou e foi se abrasileirando: arourute, arorute e finalmente araruta.

FORRÓ - Sabe-se que a região nordeste do Brasil foi colonizada, em sua maioria, pelos inglês. Os fazendeiros ingleses, naquela época, tinham o costume de fazer festas mensais com muita comida, bebida e música. As festa eram abertas a todos da fazenda; desde o capataz até aos peões. E quando a festa se aproximava, o fazendeiro se enxia de orgulho e dizia: The party is for all! For all!For all!  ( A festa é para todos! Para todos!). O refrão pronunciado pelos fazendeiros ficou nos ouvidos do povo, e as festas passaram a ser conhecidas como For All, que virou Forol, que virou Forró.  

Quer mais?
Beijos e até breve.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Salão FNLIJ para Crianças e Jovens

Olá!
Foi inaugurado ontem o Salão FNLIJ para Crianças e Jovens, importante evento para leitores, para quem quer se tornar um leitor, para professores, escritores e público em geral. O salão acontece no Rio de Janeiro. Quem estiver lá, apareça e quem não estiver aproveite para um desfrute duplo: o salão e a Cidade Maravilhosa.
Vários eventos e lançamentos estão programados para acontecer no salão; que vai até o dia 16 de junho. Dentre esses eventos, destaco o que segue abaixo, da Editora Pulo do Gato.
Nos vemos por lá!

A EDITORA PULO DO GATO e as autoras colombianas Silvia Castrillón e Yolanda Reyes convidam para uma conversa sobre os livros: O Direito de Ler e de Escrever e Ler, Brincar, Tecer e Cantar, da coleção GATO LETRADO.
A coleção apresenta títulos inéditos no Brasil sobre temas relacionados à cultura da escrita. São livros que questionam e promovem reflexões sobre a importância da leitura, particularmente a literária, e que incentivam a formação de leitores.

Dia 11/06, às 15h - Biblioteca do Educador - 15° Salão FNLIJ
Centro de Convenções Sul América, Rio de Janeiro/RJ